Skip to main content

Não faça isso, você pode quebrar sua empresa!

Por Fulgêncio Bomtempo, Coach Financeiro & Palestrante (www.BomtempoFP.com)

 

Quer saber como você pode quebrar a sua empresa? Misturando o dinheiro da empresa com o seu dinheiro! Se você não faz isso, parabéns! Espero que não tenha passado por grandes problemas financeiros antes de aprender a importância de separar sua vida financeira do caixa da empresa.

Infelizmente esse ainda é um erro cometido por vários empresários e empreendedores, principalmente entre os que estão começando, por isso quero compartilhar com você 4 dicas essenciais para separar de vez o seu dinheiro do caixa da empresa.

 

Tenha contas separadas

 

Abra uma Conta Empresarial e uma Conta Pessoal. Já me cansei de ver casos onde ao abrir a empresa o último detalhe que se lembra de realizar é abrir uma Conta Empresarial, com isso toda a movimentação da empresa começa a acontecer dentro da Conta Pessoal. Aí a bagunça financeira está feita! Começa a pagar contas pessoas e empresariais da mesma conta, e não se sabe mais separar o que é dinheiro do caixa da empresa o que é dinheiro realmente disponível para o empresário.

Outro grande problema em não abrir imediatamente uma Conta Empresarial, é a sua Declaração Anual do Imposto de Renda. Se todo o dinheiro da empresa é movimentado na sua Conta Pessoal, o Leão (Receita Federal) vai querer saber de onde estão vindos os recursos que estão entrando na conta e provavelmente vai querer dar a sua mordida. Uma mordida dupla, já que você provavelmente já pagou o seu imposto pela empresa. Vai ser complicado explicar a sua bagunça financeira ao fisco.

 

Defina seu pró-labore

 

O pró-labore é o salário dos sócios, aqui tem uma regra interessante que eu gosto de colocar com meus clientes para definir esse valor. Reflita… Se você fosse contratar uma pessoa para fazer o que você faz hoje dentro da empresa quanto você pagaria de salário a ela? Pronto, esse valor deve ser o seu pró-labore. O salário dos sócios não é quanto eles gostariam de receber pra viver, e sim o que você pagaria para outra pessoa fazer seu trabalho. Caso seja possível retirar mais do que isso, deve ser feito em forma de Dividendos (Participação nos Lucros). Esse sim é o resultado de ser dono do seu negócio e saber geri-lo bem, receber dividendos.

Já sabe como vai receber o seu pró-labore? Igual aos demais colaboradores, na sua Conta Pessoal. Faça um depósito na sua conta pessoal e se organize para viver com o seu salário e não abusando do caixa da empresa. Se for necessário ajustar o prazo de recebimento para aliviar o caixa da empresa, por exemplo, receber de forma semanal, organize suas contas pessoais para essa realidade.

Ter um pró-labore bem definido é fundamental para que você empresário veja que está tendo o seu trabalho reconhecido, evitando a sensação de que nunca tenha recebido salário como empresário. Lembre-se: ao comprometer a situação financeira da empresa, você também está comprometendo o seu futuro financeiro.

 

Não leve suas contas pessoais para a empresa pagar

 

É muito cômodo aproveitar a rotina de pagamentos da empresa e incluir nela as contas pessoais, mas isso pode fugir completamente do seu controle e gerar um rombo no caixa da sua empresa. Se a sua empresa fica sem caixa por ter que pagar as contas dos sócios como que vai conseguir realizar boas compras para alimentar o estoque ou acertar as contas com o fornecedor?

Crie sua rotina pessoal para acertar as contas. Quando receber seu pró-labore efetue imediatamente o pagamento de suas contas pelo internet banking ou aplicativo. Faça sua rotina financeira pessoal ser algo prazeroso de realizar.

 

Gerencie os imprevistos

 

Os imprevistos são campeões como desculpas para usar o dinheiro da empresa para socorrer as contas pessoais ou usar aquela reserva pras férias de fim de ano pra pagar aquele fornecedor. E se você não tivesse a empresa, como iria socorrer as contas pessoais? E se aquela reserva pessoal não existisse, como iria pagar o fornecedor?

Se você tem o controle preciso do fluxo de caixa da empresa e sabe que não fará falta, uma retirada extra pode realmente evitar um empréstimo pessoal a juros altos, mas é importante frisar que o caixa da empresa deve estar muito bem administrado, caso contrário o socorro dado para as contas pessoais pode ser motivo para recorrer a um crédito de capital de giro com altas taxas de juro para a empresa.

E sobre usar a reserva das férias de fim de ano para pagar o fornecedor que está para atrasar, deve ser reembolsado o quanto antes para não acabar com as férias da família. E principalmente, deve ser pago com juros! Se for pra pagar juros, que seja pra você mesmo.

Mas atenção! Veja que em ambas as situações o dinheiro estava separado e bem administrado. Não use imprevistos como motivo para bagunçar suas finanças, sejam pessoais ou empresariais. Se você não tem esse controle muito bem estruturado, opte por um empréstimo pessoal para solucionar os problemas financeiros pessoais e um crédito empresarial para solucionar os problemas de caixa da empresa.

Aplicando essas 4 dicas na sua vida empresarial, tenho certeza que você conseguirá evitar o grande problema financeiro que pode se tornar esse vício de misturar o dinheiro pessoal com o caixa da empresa, e terá bases sólidas para fazer sua vida financeira prosperar junto com o crescimento da sua empresa.

Você já passou pela situação de viver uma bagunça financeira entre contas pessoais e empresariais? Comente abaixo e deixe a sua dica para acabar com esse problema.

Tenho um presente pra você, leitor do Blog Super Atualizado, vou ajudar você a criar o hábito de poupar, sem abrir mão do lazer. Baixe a planilha (clicando aqui) e aceite o desafio 1% para a realização dos seus sonhos!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *