3 Dicas de planejamento para projetos de importação

3 Dicas de planejamento para projetos de importação

 

Na estruturação de projetos de importação, considerar a organização progressiva das etapas do projeto. A fase inicial na gestão do planejamento para projetos de importação é o momento em que o nível de incerteza é o mais elevado e a cada etapa avançada é necessário avaliar os resultados obtidos. Além disso, apesar do planejamento das etapas, deve-se considerar a criação de medidas alternativas para cada uma delas.

Nos processos de planejamento de importação direta, isto é, quando a operação de aquisição dos produtos é realizada fora do país através do Radar da própria empresa (Habilitação para a importação solicitada junto à Receita Federal). Assim, para o planejamento da importação direta é necessário considerar desde aspectos relativos ao documental, tributário, financeiro e contábil da empresa até estudo do mercado e desenvolvimento de fornecedores e parcerias.

Em síntese, os primeiros passos nas atividades de importação das empresas devem observar análises profundas, lembrando que o empresário deve ter ciência de todos os aspectos e fatores que podem impactar direta ou indiretamente na importação a ser realizada.

Os principais pontos que devem ser considerados, tanto para empresas que vão começar, estão começando ou até que já importam, no planejamento da importação devem ser:

 

  1. Planejamento tributário

O planejamento tributário para os projetos de importação começa na etapa de abertura da empresa, quando é definida a forma de constituição da empresa, dependendo da modalidade escolhida (Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real) é possível planejar a utilização de crédito e débito de impostos de importação. Além disso, deve-se considerar o estado de localização do importador, no que diz respeito a tributação do ICMS. Cada estado importador possui uma alíquota diferente de ICMS e, portanto, o estado de localização do importador refletirá na formação do custo final de importação.

 

 

3 Dicas de planejamento para projetos de importação

 

 

  1. Conhecimento sobre o mercado consumidor

O primeiro ponto a definir sobre o mercado consumidor será o segmento de atuação, em função desse aspecto poderão se desdobrar os estudos de levantamento das barreiras alfandegárias (impostos e taxas) e não-alfandegárias (certificação, licença de importação, dumping, entre outros). Nessa etapa, principalmente, contar com o apoio de um profissional de comércio exterior pode ser um diferencial para o entendimento e planejamento estratégico do levantamento, por exemplo, das opções tributárias e conhecimento sobre as características especiais de cada segmento.

Na definição do que importar, ou seja, de passar pela estruturação do plano de negócios com as informações detalhadas sobre o segmento que se pretende atuar. É necessário lembrar de incluir no planejamento do plano de negócios estudos sobre a estratégia de atuação dos concorrentes, quais são os canais de compra, venda e distribuição usuais do segmento, estudo de possíveis produtos alternativos, legislação, etc.

Adicionalmente, é fundamental ter clareza sobre os motivos que fundamentam o desenvolvimento da importação, que podem ser, por exemplo, a busca por redução de custos, aumentar a margem de lucro, aumentar a gama de produtos ou até ofertar ao mercado produtos com maior qualidade. Recomenda-se que o passo seguinte seja de utilizar essas informações para definir as estratégias de aquisição e atuação no mercado alvo selecionado.

 

  1. Opções logísticas a utilizar

No começo das atividades de importação, no geral, os embarques planejados são realizados com baixas quantidades de produtos. Em função, por exemplo, dos importadores terem um capital disponível limitado; terem a intenção de realizar o embarque de um lote piloto, a fim de validar a aceitação dos produtos no mercado e a qualidade do produto; e, além disso, de testarem o nível de qualidade do atendimento da demanda pelo fornecedor selecionado.

Além disso, no planejamento dos embarques de importação considerar a busca pelo melhor custo x benefício é fundamental compreender quais são os custos e os respectivos impactos sobre os resultados da operação. No geral, os impactos mais significativos sobre os custos são provenientes, por exemplo, das taxas portuárias, remuneração do despachante aduaneiro, contrato de câmbio e transporte internacional e doméstico.

Por fim, é possível considerar ferramentas para gerar redução dos impactos dos custos na importação, por exemplo: simular os custos de importação, considerando todas as opções logísticas disponíveis; realizar a consolidação da carga de dois ou mais fornecedores, diluindo os custos logísticos fixos; e, considerar embarques da demanda de forma periódica, podendo barganhar melhores condições de venda junto ao fornecedor selecionado.

 

IBSolutions

Soluções em Comércio Internacional

Postagens relacionadas

Veja também

Leave a Comment