AS MELHORES DICAS PARA A SUA EMPRESA!

Ataques cibernéticos: conheça os mais frequentes

Ataques cibernéticos: conheça os mais frequentes

O cenário de ataques cibernéticos é algo muito comum no Brasil, visto que diversas pessoas ainda não têm conhecimento pleno sobre o seu conceito ou como se prevenir, o que é muito perigoso, uma vez que é uma situação séria e possível de ser evitada.

 

Primeiramente, é preciso entender a definição de ataque cibernético, que se refere às tentativas de destruir, danificar ou tornar indisponível uma rede de sistemas através da internet. Eles são realizados pelos chamados hackers ou criminosos cibernéticos. 

 

A partir dessa invasão, é possível que haja roubo ou exposição de informações, que podem ser utilizados com o destino de extorsão e exposição dos dados confidenciais armazenados nos aparelhos de outras pessoas. 

 

Os ataques podem ocorrer com diferentes objetivos, focando em diferentes alvos e seguindo diferentes estratégias, o que torna o conhecimento mais difícil, uma vez que há uma gama de oportunidades nas quais os dados podem ser acessados por terceiros. 

 

Os principais aparelhos que podem receber esses ataques são os computadores e redes ou outros aparelhos que tenham acesso à internet, como smartphones, tablets e similares. 

 

Portanto, é importante garantir que após a compra de um computador novo, ele esteja totalmente preparado e protegido para prevenir o acontecimento de um ataque cibernético. 

 

Esses crimes podem ser cometidos por uma pessoa só ou por organizações, assim como podem ser feitos de maneira mais complexa por indivíduos com experiência e conhecimento do assunto. 

 

Por fim, as características dos cibercriminosos e dos próprios ataques em si podem variar dependendo da situação em que a vítima está incluída e do hacker que cometerá o crime. Contudo, existem algumas táticas mais comuns utilizadas nessas ações. 

 

O que acontece nesses ataques?

Há diferentes situações que podem acontecer quando uma pessoa experienciar um ataque cibernético, afetando de diversas formas. Por esse motivo, vamos analisar algumas dessas ações que podem acontecer. 

 

Durante esses ataques, uma pessoa pode ter o seu computador ou aparelho travado, isto é, ela não conseguirá mexer em mais nada, tendo ele congelado em apenas uma página específica, negando o serviço. 

 

Por exemplo, um funcionário de uma empresa de entrega expressa de documentos poderia estar checando o andamento de determinada encomenda e, de repente, não conseguir mais acessar o computador, tendo qualquer ação que desejar realizar bloqueada. 

 

Outra opção que pode acontecer é o hacker acessar uma página do servidor contendo diversas informações e apagar parte ou totalmente os dados contidos nela. 

 

Em outros casos, eles podem usar computadores ou redes alheias como uma maneira de disseminar vírus, informações ou imagens ilegais, apropriando-se de características alheias e ferramentas que não lhe pertencem para a sua propagação. 

 

Nesse caso, por exemplo, o gestor de uma empresa de banners personalizados deve ter cautela para não ter a sua conta online acessada por um hacker, para que não sejam enviadas diversas informações pedindo algo em troca, como um roubo de identidade. 

 

Há ainda a possibilidade de realizar esses dois ataques de uma só vez. Isso acontece através da definição dos computadores de destino para contaminar com o vírus. 

 

Após isso, esses computadores irão disseminar esse infectante para outros aparelhos ou redes que estejam conectados ou que entrarão em contato com ele. 

 

Como uma forma de evolução do ataque que nega o serviço para o seu utilizador, existe um que consegue bloquear o serviço de mais de um computador, comprometendo todos eles durante o ataque. 

 

Há uma categoria de crime cibernético que é considerada pelo Departamento de Justiça dos EUA, no qual os criminosos utilizam o computador como um acessório para a realização de determinado crime. 

 

Isso acontece em casos de armazenamento de dados roubados em um computador. Ou seja, se o dono de uma empresa de sala privativa teve o seu computador utilizado para guardar informações de um roubo de informações, ele é um objeto de crime cibernético. 

 

Uma última forma de acontecimento desses ataques cibernéticos é através da espionagem cibernética, em que os criminosos acessam informações sobre o governo ou outras empresas, buscando roubar seus dados, como a senha de contas bancárias.

Ataques mais frequentes

Dessa maneira, mesmo existindo de diversas formas que afetam a vítima de diferentes maneiras, existem alguns ataques cibernéticos que são os mais utilizados pelos criminosos. Entre eles estão:

 

  • Ataque DDoS: traduzido para negação de serviço distribuído;
  • Phishing: geralmente no e-mail;
  • Cavalo de Tróia: através da autorização do usuário;
  • SQL Injection: manipula as informações fornecidas;
  • Ataques de malware, ou os chamados vírus;
  • Backdoor: tipo de Cavalo de Tróia;
  • Spoofing: falsificação de endereços;
  • Manipulação de URL: links fornecidos por uma página;
  • Eavesdropping: interceptação e armazenamento das informações;
  • Shoulder Surfing: olha a tela do usuário enquanto ele acessa.

 

Ter pelo menos o conhecimento básico de como funcionam esses ataques comuns, possibilita que o usuário consiga se preparar melhor e se prevenir de cair nas armadilhas montadas pelos hackers

Como se prevenir contra esses crimes

Nesse contexto, surge a necessidade de encontrar formas de se proteger contra esses ataques, que podem ser muito prejudiciais para os usuários. 

 

Por esse motivo, a seguir, serão analisadas algumas atitudes essenciais que você pode tomar para evitá-los, sendo:

1 – Entenda sobre o assunto

A melhor forma para se proteger de qualquer ação deve iniciar com a aquisição de conhecimento sobre o assunto, isto é, como eles funcionam, quais suas principais características, os sinais que mais dão e como eles podem afetá-lo. 

 

Isso porque é só conhecendo algo que uma pessoa é capaz de se preparar para aquela situação e para lidar corretamente. A partir do momento que se conhece um ataque e como ele pode acontecer, o usuário já fica atento para evitá-lo. 

 

Além disso, ganhar conhecimento genuíno a respeito dos ataques cibernéticos permite que as pessoas passem a desconfiar de diversas ações e suspeitar de certas atitudes, essenciais para a prevenção de certos ataques, como os de Cavalo de Tróia. 

 

Fora da internet, um novo funcionário em serviços de certificação só conseguirá realizar o seu trabalho corretamente se conhecer todos os passos e tarefas e entender completamente o que deve fazer. 

 

O mesmo precisa acontecer com o usuário que deseja se prevenir na internet: ele só conseguirá executar essa proteção corretamente se souber com o que está lidando e como não se deixar enganar pelos hackers

2 – Tome cuidado com o compartilhamento de informações

Outro ponto fundamental é ter cautela com o compartilhamento de informações, os locais de acesso dos dados e as pessoas a quem serão confiadas essas confidencialidades, uma vez que, se caírem nas mãos erradas, podem causar grandes prejuízos. 

 

Para exemplificar, não é aconselhável acessar informações sigilosas e importantes em aparelhos de outras pessoas ou em outros estabelecimentos, como lan houses, pois não se sabe os programas instalados neles e nem até que ponto eles conseguem acesso. 

 

Ademais, deve-se ter um controle de acesso do material, ou seja, conhecimento de todas as pessoas que conseguem entrar no banco de dados e manter esse número exclusivo e para quem sabe cuidar do assunto, visando evitar a disseminação ou roubo por parte delas. 

3 – Não ofereça informações se não tiver certeza

Para garantir a segurança completa, é preciso entender que não se deve compartilhar nenhum tipo de informação através da internet sem ter a certeza de que é um ambiente ou pessoa confiável. 

 

Isso porque, por mais que o endereço de um e-mail pareça real, pode ser um ataque cibernético através da manipulação ou fingimento de identidade de outras empresas. Nesse ponto, não importa que tipo de informação seja pedida, o melhor é não fornecer. 

 

Por exemplo, se receber um e-mail de um colega pedindo o seu endereço fiscal virtual, o ideal é ligar para ele por telefone e perguntar se realmente é ele. Caso seja, o envio pode ser realizado, mesmo aconselhando dar preferência para o fornecimento presencial.

4 – Contate o remetente em caso de suspeita

Como mencionamos, em casos de suspeita da veracidade de determinado pedido de transferência de informação ou de tentativa de contatação, é essencial ligar para o remetente para comprovar se ele realmente enviou a mensagem.

 

Logo, se uma pessoa marcou a instalação de internet na sua casa e recebeu um e-mail da empresa contratada solicitando seu endereço e informações bancárias, é essencial ligar para o serviço diretamente para comprovar a autenticidade do pedido. 

 

Dessa forma, o usuário consegue se certificar de que realmente foi uma informação de alguém confiável ou se pode ser uma enganação, conseguindo prevenir um ataque, apenas por suspeitar. 

 

Ou seja, essa ação entra em conjunto com o fato de conhecer as características dos principais ataques cibernéticos, uma vez que ela é iniciada com a suspeita de uma ação. 

Conclusão

É imprescindível ter conhecimento a respeito dos ataques cibernéticos, uma vez que podem causar grandes estragos para uma pessoa. 

 

Entretanto, deve-se ressaltar que existem maneiras de prevenir o acontecimento desses crimes, incluindo ações ao dia a dia que conseguem evitar que os hackers acessem todos os dados e os usem para objetivos negativos.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *