O capital intelectual da sua empresa está em risco?

capital intelectual

Aprenda a identificar e proteger este ativo intangível

 

Você certamente entende por que a fórmula da Coca-Cola fica guardada dentro de um cofre em Atlanta. Até hoje, 132 anos após a invenção da bebida, ninguém sabe qual é sua exata composição. O refrigerante segue líder absoluto de mercado ao manter seguro este conhecimento estratégico. Mesmo que não tenha uma receita de sucesso, toda empresa deve seguir o exemplo da multinacional e garantir a segurança do próprio capital intelectual.

 

Ao contrário da Coca-Cola, porém, é provável que a sua empresa não mantenha tais informações encarceradas em uma sala de segurança máxima. Na verdade, a maior parte das organizações armazena os seu dados confidenciais em algum meio digital. Existem inúmeros riscos implicados ao ato de largar o seu arquivo em uma pendrive ou sistema de armazenamento em nuvem, por exemplo. Sem as devidas precauções, é como gritar um segredo ao vento e torcer para que ninguém ouça.

 

Continue lendo caso queira aprender a identificar e proteger o seu capital intelectual diante deste cenário.

 

Reconheça seu capital intelectual

 

O primeiro passo para proteger o capital intelectual da sua empresa é descobrir em que ele consiste. Relativamente novo, o conceito ainda gera incerteza quando empregado. Sua origem está vinculada à emergência da Sociedade do Conhecimento, período no qual deixamos a lógica materialista da era industrial e passamos a valorizar o poder das informações. Trata-se, portanto, de um ativo intangível.

 

Diferentemente das propriedades físicas de uma empresa – feito imóveis, maquinários e produtos em estoque -, este patrimônio se mostra de difícil mensuração.

 

Não há consenso entre os teóricos sobre a definição de capital intelectual. Todavia, costuma ser classificado como um somatório de diferentes aspectos que permeiam uma organização. As habilidades dos colaboradores, o relacionamento da empresa com seus stakeholders, a cultura organizacional e o seu potencial de inovação são recursos que formam o capital intelectual. Em suma, estamos falando de todos os conhecimentos com capacidade de gerar riqueza.

 

Traduzindo para a realidade de um escritório de contabilidade, o capital intelectual pode se materializar em uma lista com dados financeiros dos clientes. Cada empresa possuirá informações estratégicas para o seu nicho de mercado. É fundamental mapear esses registros de inteligência corporativa de modo que seja possível traçar um plano de proteção.

 

Gerenciando o conhecimento estratégico

 

Pense bem: o que aconteceria se aquele projeto, desenho técnico ou modelo de gestão caísse nas mãos da concorrência? Pois é, sua empresa perderia vantagem competitiva. Agora que você tem uma noção inicial daquilo que representa o capital intelectual da sua empresa, chegou a hora de refletir sobre como esse conhecimento estratégico vem sendo gerenciado.

 

Vale ressaltar que o vazamento de informações costuma ocorrer por negligência em pontos-chave de um parque de máquinas. Sobretudo em decorrência de falhas humanas. As principais ameaças ao capital intelectual das empresas dizem respeito à manipulação indevida dos dados pela própria equipe. Como no cenário de colaboradores mal intencionados, que queiram levar vantagem se apropriando de informações valiosas. Mas também acontece de um simples descuido online acabar abrindo portas para ataques cibernéticos.

 

Por isso, implementar uma Política de Segurança da Informação (PSI) é a medida preventiva mais eficaz. Esse documento é elaborado de acordo a norma NBR ISO/IEC 27001, visando manter a confidencialidade, integridade e disponibilidade dos dados.

 

Sua função é regulamentar práticas relacionadas à gestão da informação e conscientizar os funcionários sobre o seu comportamento nas estações de trabalho. Na PSI estará descrito o procedimento padrão para instalação de softwares, autenticação nos sistemas corporativos, navegação na internet, compartilhamento de arquivos, etc. Cabe à organização promover uma análise das vulnerabilidades que se apresentam no seu ambiente para então redigir as instruções de segurança.

 

O que diz a legislação

 

A PSI aprovisiona juridicamente as empresas no que tange à proteção do capital intelectual. Ao estabelecer e divulgar diretrizes claras para a gestão da informação, o empregador pode identificar mais facilmente desvios de conduta e coibi-los com medidas e penalidades adequadas.

 

De maneira idêntica, a segurança do seu conhecimento estratégico pode começar a ser garantida já no Contrato de Trabalho. Podemos citar a importância da cláusula de confidencialidade, responsável por estabelecer sigilo sob pena de demissão por justa causa.

 

Outro mecanismo do qual a empresa pode lançar mão é a Lei de Propriedade Industrial, a qual regula os direitos e obrigações relativos à autoria de bens imateriais. Seu funcionamento se dá por intermédio de concessões de patentes, marcas, e repressão à concorrência desleal. Geralmente, o direito às propriedades intelectuais criadas no ambiente de trabalho é cedido para o contratante.

 

Independentemente do contexto, recomenda-se a consulta de especialistas na área do direito eletrônico a fim de adequar as políticas internas da empresa à legislação.

 

E fique sempre atento, pois o número de variáveis em torno do assunto não pára de crescer. A nova Lei Geral de Proteção aos Dados estabelece parâmetros mais rígidos acerca da privacidade do usuário. Atitudes como o monitoramento do e-mail corporativo exigirão consentimento. Ou seja, não adianta querer bancar o espião para saber quais informações estão sendo enviadas pelo funcionário.

 

Como mitigar riscos

 

Conforme vimos anteriormente, o capital intelectual tem sido considerado um dos maiores diferenciais competitivos na economia mundial. Sendo assim, as empresas não podem deixar que esses dados sensíveis saiam dos seus domínios sem consentimento. Muitos empresários, entretanto, não confiam na própria estratégia de segurança da informação.

 

Você provavelmente vive a mesma desconfiança se não possui uma ferramenta de gerenciamento inteligente e automatizada. Nenhum gestor, afinal, consegue se fazer onipresente para conferir se as regras e boas práticas da empresa estão sendo seguidas. No intuito de mitigar os riscos existentes no ambiente digital e garantir a proteção do seu capital intelectual a todo o momento, é essencial investir em um software especializado.

 

Busque uma solução que lhe possibilite controlar:

  • Quais e quantos documentos estão sendo impressos no seu parque de máquinas;
  • Arquivos que são deletados, modificados, renomeados e criados dentro da rede;
  • Bloqueios a dispositivos, sites e programas não autorizados.

É exatamente isso que o NetEye faz, realizando uma verdadeira auditoria no seu parque de TI. Você cria as regras de segurança e ele as implementa, emitindo alertas quando houver uma tentativa de violação. Teste-o gratuitamente por 14 dias, para até 14 computadores, e preserve aquilo que a sua empresa tem de mais valioso.

Veja também

Leave a Comment