AS MELHORES DICAS PARA A SUA EMPRESA!

Empreendedorismo Feminino em 2021

Empreendedorismo Feminino em 2021

As mulheres já são maioria da população de muitas cidades brasileiras. São elas também que preenchem os mais altos níveis escolares, estudam e se reciclam em cursos profissionalizantes e de autoconhecimento, porém quando falamos em política, mercado de trabalho e agronegócio sabemos que ainda há muito caminho pela frente. 

 

Com a pandemia, o número de mulheres que se aventuraram no empreendedorismo cresceu cerca de 40% no Brasil. Pensando ainda que, de acordo com dados oficiais, a partir da segunda década do século 21, três em cada quatro lares brasileiros são chefiados por mulheres. Estas se viram necessitadas de buscar novas e melhores fontes de renda enquanto o nosso país passa, por talvez, uma das piores crises de saúde e consequentemente econômicas.

 

É com esse jeito de conseguir fazer de um limão uma limonada que as mulheres têm um potencial gigantesco de fazer prosperar em tempos de dificuldade e de conseguir fazer a gestão de um negócio enquanto são multitarefas. Elas saem disparadas para tentarem oferecer um conforto além do previsto para os seus, inventam e reinventam na hora de empreender e faz a ‘coisa’ acontecer. 

 

O que é empreendedorismo feminino?

 

Fundamental na redução das diferenças de oportunidades de crescimento na carreira entre homens e mulheres, o empreendedorismo feminino é o nome que se dá para as mulheres que lideram algum empreendimento. Independente de seu tamanho, pequeno, médio ou grande porte, as mulheres têm esse respaldo quando querem assumir as lideranças. O empreendedorismo favorece a diversidade de negócios, graças às perspectivas inovadoras identificadas pelas empreendedoras.

 

Para que cada vez mais, as mulheres sejam protagonistas de suas vidas, é preciso fomentar o empreendedorismo feminino. É com o incentivo dele que as mulheres aumentarão seus rendimentos, gerarão empregos, terão sustentabilidade no mercado e, sobretudo, serão mais independentes.

 

Modelos de empreendedorismo feminino para seguir

 

Ainda são poucas, mas já começamos a encontrar modelos de negócios e mulheres empreendedoras que servem de inspiração para todas. Desde a tia do bairro que tinha uma máquina de costura parada em casa e empreendeu na pandemia, vendendo máscaras de pano para a comunidade até a mãe de três filhos que expandiu os bolos caseiros para o seu bairro. Há infinitas opções de histórias sobre empreendedorismo feminino que dão certo.

 

Uma das mais famosas com certeza é Luiza Trajano, dona hoje de uma das maiores redes de varejo que é o Magazine Luiza. Considerada a mulher mais rica do Brasil,  Luiza já participou de programas como Shark Tank que incuba negócios, palestras e cursos, contando sobre sua trajetória nos negócios e como ela se posicionou diante de um mundo tomado por homens. 

 

Dentro do próprio Shark Tank vemos a Camila Farani que é uma das maiores investidoras hoje e que também promove a independência feminina através dos negócios e que já recebeu diversos prêmios nacionais e internacionais pela sua carreira. 

 

Se formos procurar conseguimos encontrar diferentes mulheres, mães que transformaram suas dificuldades em modelo de negócio e hoje conseguem ganhar dinheiro, ter sua independência e ainda ensinar e inspirar outras mulheres. Estas compõem o cenário do empreendedorismo feminino.

 

Para que o mundo dos negócios seja cada vez mais feminino e que cada vez mais tenhamos mulheres liderando cargos de grandes empresas, precisa ter estudo e planejamento. Aos poucos esse caminho vai ficando cada vez mais brando e mais mulheres vão obtendo sucesso profissional dentro do empreender. Sabemos que elas têm força como ninguém e que o sucesso depende apenas delas mesmo.  

 

Desafios

  • Jornada múltipla: sem dúvida, um dos maiores desafios do empreender feminino está nas múltiplas funções que a mulher exerce. Além de se liderarem em casa e com os filhos, na vida profissional elas também têm dupla jornada e além de executar as funções elas também lideram.
  • Preconceito: também é um desafio que está no topo da lista. Na política ainda, vimos claramente esse preconceito ampliar, principalmente na forma em que a sociedade encara ainda as mulheres dentro de cargos de extrema importância e liderança.
  •  Falta de incentivo: este é um dos pontos que muitas mulheres sentem-se prejudicadas na hora de empreenderem. Primeiro, porque o apoio é fundamental para que elas se sintam ainda mais seguras na hora de encarar algo e, na prática, sabemos que apenas uma pequena parcela da sociedade contribui para esse apoio .

 

Portanto, se está sozinha e tem vontade de empreender, de assumir e liderar um negócio, procure um especialista para te orientar. O Sebrae conta com programas específicos para as mulheres de negócio para incentivar o empreendedorismo feminino e auxiliar em toda a trajetória da empresa. 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *