Como empreender com consertos/reparos que envolvem pouco investimento

empreender com consertos/reparos

Quando a empresa norte-americana Loctite, fundada no ano de 1956 na cidade de Hartford, Connecticut, EUA, iniciou as suas atividades, certamente não imaginava que, mais de meio século depois, a sua marca seria o grande sinônimo de reparos e de pequenos consertos em praticamente todo o mundo.


E muito menos que reparar e consertar se tornariam meios de sobrevivência para milhares de indivíduos, especialmente nos Estados Unidos, onde os profissionais desse segmento até ganharam o sugestivo apelido de “maridos de aluguel”.


Estes, munidos de martelos, chaves de fenda, serrotes, pregos, estiletes, furadeiras e muita, muita habilidade para serviços manuais, são responsáveis por salvar o dia de milhares de homens e mulheres solteiros que se veem às voltas com problemas hidráulicos, elétricos, eletrônicos, entre diversas outras necessidades típicas do dia a dia.

Consertos/reparos que envolvem pouco investimento
Nos Estados Unidos, os “maridos de aluguel” já possuem o status de verdadeiras instituições

Mas será que é possível mesmo viver de reparos e pequenos consertos?

A resposta é sim. E hoje um universo de profissionais com apenas um curso profissionalizante, dom para serviços manuais e muita disposição, já são pequenos empreendedores, disponibilizando os seus contatos para tarefas em domicílio, enquanto outros optam por trabalhar em empresas que disponibilizam esse tipo de profissional.


Essas empresas geralmente contratam os mais experimentados, e a partir daí os incentivam a participar de cursos, eventos, workshops, entre outras formas de agregar mais conhecimento teórico a um conjunto de habilidades adquiridas ao longo de anos.


Dessa forma, verdadeiros mestres em recuperar um chuveiro quebrado, dar uma nova sobrevida a ventiladores e ar-condicionados danificados, levantar paredes, instalar prateleiras, entre outros serviços menos complexos, garantem o sustento das suas famílias, enquanto ajudam a instituir uma nova classe de profissionais.


Nesse segmento é possível faturar entre R$2.000 e R$3.000 reais por mês apenas com a realização de pequenos reparos.


Isso sem contar o prazer que muitos confessam em viver daquilo que mais amam fazer: mexer com as mãos, dar nova vida a aparelhos considerados imprestáveis e contribuir para a reutilização, reaproveitamento e reciclagem de inúmeros materiais.

Como começar no negócio de reparos e pequenos consertos?

No Brasil, com o auxílio do SEBRAE, é possível escolher entre os segmentos industrial e comercial ou simplesmente seguir nos mesmos moldes daqueles “maridos de aluguel” tão famosos nos Estados Unidos.

 

Mas, caso opte por abrir uma empresa, você poderá escolher entre dezenas ou centenas de nichos, como os de chaveiro, alvenaria, reparos elétricos, serviços hidráulicos, jardinagem, carpintaria, eletrônica, entre vários outros.

 

Segmento escolhido, o próximo passo será a escolha de uma boa localização, os profissionais mais capacitados (ou capacitá-los), cumprir com todas as obrigações típicas da abertura de uma empresa, além de pensar na escolha dos equipamentos de acordo com o seu novo ramo de atividade.

 

Você agora terá que ser um especialista em escolher martelos, alicates, chaves de fenda, furadeiras, enceradeiras, material de limpeza, aspiradores de pó, luvas, capacetes, máscaras, óculos…

 

E o mais importante: terá que acostumar-se a dar atenção a pequenos detalhes, empenhar-se na fiscalização do trabalho dos seus profissionais e garantir um serviço de qualidade – isso se quiser manter-se firme no mercado e transformar-se em uma referência quando o assunto for pequenos reparos e consertos dos mais diversos tipos e com as mais diversas exigências.

 

Caso queira, deixe a sua opinião sobre esse artigo. E continue compartilhando e discutindo com os amigos os nossos conteúdos.

 

Veja também

Leave a Comment