Inventário do seu patrimônio: Como e por que fazer?

inventário

 

Muitas vezes observamos que várias empresas no mercado passam por problemas quando o assunto é controle do patrimônio. Com o objetivo de aumentar a organização e o conhecimento dos ativos imobilizados, é importante que as organizações realizem adequadamente o inventário dos seus bens.

O que é um inventário patrimonial?

 

Um inventário é a relação estabelecida entre os bens e suas características técnicas. Essas podem ser marcas, modelo e capacidade, quantidades, estado de conservação e local em que se encontram as peças. O levantamento patrimonial se aplica aos ativos imobilizados da empresa, ou seja, todas as máquinas, equipamentos, veículos, mobiliário, computadores, etc.

 

É importante ressaltar que quanto maior o grau de detalhamento de um inventário e mais minucioso o mesmo for, melhor será o resultado final. A questão é que um inventário bem realizado significa informações corretas, localizações fidedignas e tomadas de decisões mais assertivas.

 

Ao realizar a gestão dos ativos imobilizados, uma das etapas é a conciliação físico-contábil, em que é feita a comparação dos dados que constam na base contábil com as informações obtidas no inventário físico. Dessa forma, com um inventário patrimonial realizado de maneira correta, a empresa é capaz de comprovar a veracidade das informações financeiras publicadas no balanço patrimonial.

 

Etapas de um inventário:

 

Assim como o inventário faz parte de uma das etapas do controle e gestão do ativo imobilizado.

Acompanhe os passos a serem seguidos:

  • Seleção de uma equipe especializada com inventariantes qualificados e tecnicamente habilitados;
  • Afixação da etiqueta patrimonial (será explicado mais detalhadamente abaixo);
  • Fotografia dos ativos;
  • Anotação das características técnicas dos bens;
  • Observação do estado de conservação, política de manutenção e regime de uso (para máquinas e equipamentos);
  • Descrição das informações e localizações dos ativos.

Cada etapa exige que o inventariante siga corretamente as exigências estabelecidas e que a descrição seja feita de forma correta e assertiva para que não ocorra futuros erros. Conheça melhor cada passo e entenda como ele deve ser feito detalhadamente.

 

Etiquetas patrimoniais

 

Com o objetivo de se organizar melhor e detalhar seu controle de estoques, uma das etapas do inventário é o processo de fixação das placas de patrimônio.

 

Apesar de não ser obrigatória, o emplaquetamento do patrimônio é um dos métodos mais assertivos e ele é capaz de gerar benefícios para a empresa, como: identificação visual, reconhecimento pela numeração única, redução dos prazos em inventários futuros e auxílio na etapa de conciliação físico x contábil, funcionando como um sistema de controle patrimonial.

 

Dessa forma, as etiquetas patrimoniais, ao assessorarem no processo de realização do inventário, contribuem para o controle do patrimônio total da empresa, fornecendo informações e identificação sobre os ativos imobilizados, facilitando o reconhecimento destes e trazendo uma série de vantagens, mencionadas anteriormente.

 

Conheça os tipos de etiquetas patrimoniais, as tecnologias utilizadas, as vantagens que elas oferecem e alguns exemplos aqui. Entenda qual tipo de etiqueta é melhor para determinada situação e objetivo.

 

Vantagens de realizar um bom inventário

 

A realização de um bom inventário pode exigir da empresa um certo trabalho de uma equipe especializada. Entretanto, os benefícios gerados podem ser recompensados futuramente, tanto na parte do controle do patrimônio, quanto no auxílio aos gestores para tomada de decisões estratégicas para a empresa.

 

Abaixo estão listadas as principais vantagens de realizar um bom inventário:

 

  • Não realização de compras desnecessárias;
  • Redução do número de furtos e desvios dos ativos dentro da empresa;
  • Conhecimento do real valor dos ativos da empresa;
  • Controle de conservação e produtividade dos bens, principalmente das máquinas;
  • Aumento da vida útil dos bens, em um contexto geral;
  • Atendimento às normas contábeis vigentes (IFRS);
  • Obtenção de certificados de qualidade, como a ISO 55000 (Gestão eficaz de ativos);
  • Atendimento às auditorias.

 

Realizar o inventário patrimonial dos bens é uma maneira de cuidar do seu patrimônio, já que além de ele oferecer valor para a entidade, os bens são essenciais nas operações de uma empresa.

 

Por isso, garanta à sua empresa que essa atividade seja realizada tanto com o objetivo de cumprir as normas contábeis, quanto para uma gestão eficaz para sua organização.

Postagens relacionadas

Veja também

Leave a Comment