AS MELHORES DICAS PARA A SUA EMPRESA!

Plano de negócio: sem um caminho definido, não se chega a lugar algum

Plano de negócio: sem um caminho definido, não se chega a lugar algum

Como fazer o Plano de Negócios: 2 matrizes e visão de futuro

“Planejamento não é pensar em que decisões tomar no futuro, mas qual a o futuro das decisões que tomamos agora”.

Peter Drucker

Muitos empreendedores têm uma excelente ideia de negócio, começam a trabalhar em seu sonho, reúnem alguns recursos e mergulham com muita motivação e vontade na operação.

Até aí, muito bom.

Mas poderia ser ainda melhor se, antes de se atirar nessa empreitada, o empresário desse uns passos para trás, se concentrasse, rememorasse em sua mente cada passo que pretender dar, e tomasse uma distância para ganhar impulso.

Só depois dessa preparação – aí, sim! – é hora de correr em direção ao seu sonho.

Já viu algum saltador olímpico fazer diferente?

Mas como tempo é dinheiro, nem sempre é fácil parar para criar um bom plano de negócios.

Para ajudar você nessa missão, e conseguir modelar seus processos de negócios adequadamente, separamos as 2 ferramentas mais ágeis e rápidas que você pode usar nessa tarefa e, assim, criar logo seu plano de negócios.

 

As 2 ferramentas para criar seu Plano de Negócios

 

 

Poderiam ser 4 ferramentas para elaborar um planejamento de negócios, poderiam ser até 10 ferramentas.

Mas quisemos reunir aqui as 2 mais ágeis e práticas. Vamos a elas!

 

1- Forças, fraquezas, oportunidades e ameaças

 

Só de ler este título, com certeza você notou que faz bastante sentido conhecer estes 4 fatores ao fazer o planejamento de uma empresa.

Esta é a famosa Matriz SWOT (ou FOFA), cujo nome deriva dessas 4 palavras em inglês:

 

  • Strengths = Forças
  • Weaknesses = Fraquezas
  • Opportunities = Oportunidades
  • Threats = Ameaças

 

Na matriz SWOT, as forças e fraquezas são características de sua empresa, o que chamamos de ambiente interno.

Assim, se sua empresa tem (ou pretende ter) ótimos funcionários, um bom sortimento de produtos, uma marca forte etc., essas são suas forças.

Por outro lado, se você sabe que sua empresa tem uma localização que poderia ser melhor, um gerente financeiro inexperiente e ainda não pode pagar salários muito altos, esses e outros fatores semelhantes seriam suas fraquezas.

Note que você tem controle sobre todos esses elementos, sejam as fraquezas ou as forças apontadas nesses exemplos da matriz SWOT.

Já as oportunidades e ameaças pertencem ao ambiente externo, fatores sobre os quais você não tem controle, como um clima frio (desfavorável para quem vende sorvetes, por exemplo), aumentos de impostos pelo governo ou a subida de preços de uma matéria-prima que você usa. Esses são exemplos de ameaças.

Exemplos de oportunidades poderiam ser a queda dos juros, a melhoria da economia, a construção de um hotel próximo de seu restaurante e até o clima frio, se você vende casacos, por exemplo.

Agora, aqui vai o segredo da análise SWOT no planejamento de negócios:

Se você só pode agir sobre o que tem controle, isto é, o ambiente interno, você precisa descobrir como potencializar suas forças e reestruturar suas fraquezas para se defender de ameaças e aproveitar ao máximo suas oportunidades.

Assim, você poderia incluir em seu planejamento de negócios ações como estas:

 

  • Treinar os funcionários (fraqueza) para atenderem bem aos clientes do hotel que se instalará na região (oportunidade)
  • Pagar um curso para o gerente financeiro (fraqueza) para que ele saiba aproveitar melhor a queda dos juros (oportunidade) e consiga driblar o aumento de preços das matérias-primas (ameaça)
  • Incluir caldas quentes nos sorvetes (fraqueza) para se defender do clima frio mais intenso (ameaça)

 

Mas estas são medidas mais táticas de seu planejamento de empresa.

Para complementar com um planejamento estratégico, conheça a matriz que te ajudará a definir suas estratégias genéricas.

 

Seja o melhor, o que produz mais barato ou atenda um nicho

 

É assim que Michael Porter define o que ele chama de 3 estratégias genéricas:

 

  1. Liderança total em custos
  2. Diferenciação
  3. Foco

 

Vamos explicar cada uma delas, veja:

 

Liderança total em custos

 

Quando uma empresa opta por este tipo de estratégia genérica em seu plano de negócios, isso significa que ela tem processos modelados de forma extremamente eficiente.

Assim, seu custo de produção é muito baixo e ela pode trabalhar com preços bastante competitivos, sem que isso prejudique sua margem de lucro.

Uma empresa brasileira que se notabilizou por esta estratégia foi o Habib´s.

Existe uma grande diferença entre custos baixos e preços baixos. Baixar preços e reduzir a margem de lucro, sem aumentar a velocidade das vendas, pode quebrar uma empresa.

 

Diferenciação

 

Neste caso, a ideia é oferecer um produto ou serviço que se destaque da concorrência em algum critério extremamente valorizado por seu público-alvo.

Assim, sua marca precisa ser a melhor em alguma coisa: a mais rápida, a mais gostosa, a mais próxima, a mais atenciosa, a maior do bairro…

A diferenciação é o motivo que faz os clientes preferirem a sua empresa, e não uma concorrente.

 

Foco

 

Quando uma empresa decide atender um nicho específico, uma parcela menor de um perfil de consumidores, ela tem condições de se especializar em determinadas características e, assim, com menos concorrentes, buscar ter ótimos custos e qualidade impecável, ao mesmo tempo.

Um restaurante vegetariano, por exemplo. Se ele estiver em uma rua comercial, será difícil ser o melhor de todos e também ter preços competitivos.

Mas ele pode conseguir ser o melhor restaurante vegetariano da região e ter preços atrativos, ao restringir seu público a este nicho.

Note que não há como ser diferenciado e líder em custos ao mesmo tempo, a não ser que você foque em um mercado menor e específico.

Uma empresa que começou assim foi a Apple, que fazia excelentes computadores, com um preço adequado, para quem trabalhava com design gráfico.

Agora que você já conhece essas duas ferramentas de planejamento, que forças vai usar para escolher a melhor estratégia genérica para seu negócio?

 

Este post foi escrito pela equipe do HEFLO, um software de modelagem de processos gratuito e na nuvem, que vai ajudar você a revolucionar os processos em seu negócio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *