Skip to main content
praticas-de-gestao-demonstrações-contabeis

Indicadores que auxiliam em práticas de gestão e demonstrações contábeis

 

A gestão organizacional é a atividade de administração da empresa realizada com o objetivo de planejar todas as ações que contribuam para seu funcionamento, alcance dos objetivos e rentabilidade para seus empreendedores.

 

Assim, a gestão está atrelada ao processo de criação de um planejamento estratégico, na execução desta estratégia e na mensuração e alcance de resultados.A gestão é a base do sucesso de uma empresa, pois assegura saídas para problemas e emergências, com base em informações concretas e verídicas.

 

Um fator que auxilia na gestão organizacional, além de ser obrigatório, é a análise das demonstrações contábeis. Esta fornece informações sobre a posição patrimonial e financeira, o resultado e o fluxo financeiro de uma empresa, por meio de: balanço patrimonial, demonstração de resultado, dos lucros, prejuízos, fluxos de caixa, entre outros.

 

É importante que os gestores estejam atentos à mensuração dos quesitos que influenciam sua empresa. Você sabe como mensurar as práticas internas de gestão e demonstrações contábeis da sua empresa?

Continue acompanhando este artigo e conheça alguns dos principais indicadores que irão auxiliar a gestão e a atividade contábil da sua empresa.

 

6 indicadores para mensurar a gestão em sua empresa

 

Com práticas organizacionais internas e compilação de todas as informações no sistema da empresa, é possível mensurar os resultados gerados.Separamos uma lista com alguns indicadores contábeis e gerenciais, os quais podem colaborar com o seu planejamento.

 

  • Quantidade de bens

Um bem é tudo aquilo que pode ser convertido em dinheiro, podendo ser classe móvel, imóvel, tangível e intangível. É importante que todos os bens sejam registrados no balanço patrimonial da empresa.

Desta forma, o gestor estará ciente do número de bens que pertencem à instituição, podendo fazer o controle regularmente deste valor, evitando furtos, desvios e compras desnecessárias.

 

  • Valor de depreciação de bens

A depreciação corresponde à perda do valor do ativo imobilizado devido ao seu uso, desgaste normal ou de sua obsolescência.

Para encontrar o valor da depreciação é necessário o conhecimento do valor residual e do valor justo, assim como da vida útil econômica do bem. A conjugação desses três fatores permitirá à empresa calcular os valores mensais de depreciação do ativo imobilizado.

 

  • Vida útil dos bens

A vida útil está relacionada ao tempo em que o produto tem validade e bom desempenho. Este período é determinado pelo fabricante, mas, pode sofrer alterações pelo regime de trabalho, uso inadequado, obsolescência tecnológica, entre outros fatores.

 

Quando uma empresa está ciente sobre o valor da vida útil dos seus bens, ela poderá provisionar reposição do parque fabril e ainda controlar e rever o cálculo da depreciação dos ativos para atualização das demonstrações societárias da entidade.

 

  • Quantidade e valor de bens com danos que necessitam de manutenção/reparo

Cuidar do patrimônio significa realizar controle dos ativos imobilizados. Estes compreendem um conjunto de bens pertencentes à empresa, requeridos na produção, fornecimento de mercadorias e serviços.

 

Para realizar este controle, é importante que o gestor esteja atento a quantidade e valor dos bens que, por algum motivo, sofreram danos e necessitam de reparo, para que assim seja possível recuperar a capacidade destes.

 

  • Quantidade e valor de bens com documentação, mas não encontrados

Como já visto nas etapas do processo de gestão e controle patrimonial, é necessário realizar o cruzamento de informações entre bens com documentos versus bens identificados in loco. Por isso, este indicador é importante para saber a quantidade e valor dos bens com documentação, mas não identificados.

 

  • Valor residual dos bens

Os bens que são corretamente reparados apresentam um valor de revenda, mesmo ao final de sua vida útil. Neste caso, o preço de revenda é denominado valor residual, calculado com base em taxas de depreciação.

 

Este valor é utilizado para fins contabilísticos e deduções nos impostos, bem como para as seguradoras se certificarem sobre o valor que deverá ser pago, em caso de perda total.

 

É muito importante ter este valor registrado, para que não haja gastos desnecessários e perdas de dinheiro na revenda dos equipamentos.

 

 

Auto convidado: http://www.investorcp.com 

 

Postagens relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *