Como reconhecer os riscos e erros do meu negócio

RECONHECER riscos e erros no meu negócio

Surpreendentemente, quando olhamos para dentro da empresa, é difícil encontrar e reconhecer as falhas à primeira vista. Não por orgulho, nem por vaidade: elas se escondem em pequenas arestas da operação e em nossas crenças. O dia a dia atribulado e o tempo sempre escasso acabam nos impedindo de verificar se estamos remando na direção certa e se estamos cuidando com afinco da nossa própria empresa.

Desde que se é dado os primeiros passos para abrir um negócio, o empresário deve estar atento para que o mínimo de erros ocorra. Listamos 4 pontos básicos que precisam ser gerenciados a todo momento para que erros sejam evitados e riscos minimizados:

1- INFORMAÇÕES

Informação é sempre bem-vinda, seja proveniente de relatórios, de depoimentos, de anotações ou de qualquer outra espécie. Buscar dados e analisá-los é algo que está na rotina de todo empreendedor de sucesso. Se falta tempo, delegue esta rotina a alguém capacitado e concentre no monitoramento dessas informações.

Isso não quer dizer que você precisa mergulhar em números e esquecer todo o restante. Se isso acontecer, você estará caindo em outra armadilha. O processo completo consiste em registrar, analisar e tomar decisões. Se as decisões não forem tomadas, de nada adiantará essa munição de números.

2- SATISFAÇÃO DO CLIENTE

Poderíamos ter considerado a satisfação do cliente no item acima, como um dado, uma informação, mas, este assunto é muito relevante para ser tratado tão en passant.

Guarde isso: O cliente é o maior bem de uma empresa. Não tem nada a ver com “o cliente tem sempre razão”, esqueça isso! O que está em jogo é um indivíduo que compra o produto, usa o produto, mostra o produto aos amigos e fideliza-se a este produto ou esta marca. A proximidade ao seu cliente fará com que você entenda as reais necessidades dele e criará um processo contínuo de melhoria do seu produto.

3- KNOW-HOW

Traduzindo livremente, podemos definir know-how em “saber como” ou “saber como fazer”. Trata-se, portanto de conhecer o negócio, entender o processo completo e entregar aquilo que foi prometido ao cliente.

Neste ponto, passamos por insumos, equipamentos e equipe. A perfeita sincronização desta tríade é o que garante uma operação sustentável a longo prazo. De nada adianta ter uma ótima equipe se o insumo utilizado é de baixa qualidade. Também não seria viável processar um insumo de altíssima qualidade em um equipamento inadequado. Qualquer falha em um destes três pontos – produto, processo ou pessoas – pode comprometer seriamente o seu negócio. Portanto, mantenha todos sob o seu domínio.

4- RESULTADOS

A lucratividade não precisa estar diretamente vinculada a dinheiro ou riqueza. O lucro pode ser encarado como uma medida de desempenho e, esta abordagem pode transformar a forma como você vê a sua empresa. Até as organizações sem fins lucrativos precisam ser apresentar resultados positivos. Neste tipo de organização, o lucro é integralmente revertido em novos investimentos ou em expansão da área de atuação, mas, sem o lucro, elas não permaneceriam vivas por muito tempo.

Parece contraditório, mas quanto menor a empresa, menor a chance de ela estar apurando seus resultados e utilizando-os como incentivo para dar os próximos passos. É muito comum encontrar negócios que não conhecem sua lucratividade e seguem atuando sem rumo, sem metas e sem propósito.

Para você fugir deste grupo de insipientes, inicie o processo descobrindo qual é a lucratividade ideal para o seu negócio. Para isso, pesquise negócios similares ao seu segmento, alinhe com indicadores do seu setor e trace sua meta.

CONCLUSÃO

Para quem ainda tem dúvida de como começar a agir, este resumo pode ajudar:

  1. Meça tudo que você puder, apure indicadores, controle, anote e registre. Mas, cuidado: só mantenha rotina sobre aqueles itens que você consegue analisar e utilizar constantemente para tomar decisões;
  2. Mantenha seu cliente satisfeito, ouça-o e alinhe sua oferta com as necessidades do seu público. Isso irá alavancar suas as vendas;
  3. Conheça o seu negócio, capacite-se, lidere sua equipe com maestria e entenda o processo completo, seja de venda de produtos ou prestação de serviços;
  4. Descubra a lucratividade do seu segmento, crie metas e trace planos para atingi-las.

Seguindo estes simples passos, você reconhecerá os erros com mais facilidades, evitará falhas e estará a cada vez mais próximo do sucesso.

Anibal Maini é fundador e consultor da GPME EXPANSÃO E ESTRUTURAÇÃO DE NEGÓCIOS, uma empresa especializada em gerar lucro para outras empresas.

Veja também

Leave a Comment