AS MELHORES DICAS PARA A SUA EMPRESA!

Saiba quais investimentos permitem portabilidade

Saiba quais investimentos permitem portabilidade

Você sabia que é possível realizar a portabilidade de seus investimentos? Se você não está contente com os rendimentos de algum de seus ativos, você pode mudar de corretora ou banco através desse processo. A portabilidade é grátis e não paga impostos, o que a torna uma excelente alternativa para quem deseja otimizar a rentabilidade de seus investimentos.

O que dificulta a popularidade desse tipo de operação é que ainda não há um processo padrão. A CVM (Comissão de Valores Mobiliários), autarquia do Ministério da Economia está tentando automatizar e padronizar o processo, mas vem encontrando resistência das instituições bancárias.

O que é a portabilidade de investimento?

A portabilidade de investimento é a operação que visa transferir o dinheiro de uma aplicação de uma instituição financeira para outra, sem cobrar nada por isso. Essa transação também é conhecida como transferência de custódia e serve para realizar a portabilidade da maioria dos investimentos disponíveis no mercado.

Qualquer investidor que possua investimentos em uma corretora ou banco pode escolher enviar os ativos para outra instituição do seu interesse, sem precisar resgatar a aplicação. Após realizar o processo, o investidor poderá ver todas as informações sobre o ativo na plataforma da instituição escolhida para assumir a custódia do investimento.

Quais investimentos podem ser transferidos?

Essa dúvida é bastante comum entre investidores. Geralmente, a portabilidade de investimentos mais famosa é a da previdência privada. É comum que um investidor que utilize a previdência privada do Santander faça a portabilidade de previdência para o Bradesco, por exemplo.

Porém, pouco investidores sabem que dá para transferir muito mais ativos. Os ativos de renda fixa como títulos do Tesouro Direto, CDBs, LCIs e LCAs, por exemplo, podem ser transferidos.

Fundos de investimentos que distribuem o mesmo produto e ações também podem ter suas custódias transferidas.

Quando não é possível fazer a portabilidade de um investimento?

Como você pode perceber acima, nem todos os fundos de investimentos são passíveis de portabilidade. Fundos exclusivos não podem ser transferidos, por exemplo. Quando um fundo de investimento é exclusivo da instituição financeira que você possui conta, ele não pode ser transferido.

O mesmo acontece com ativos usados como garantia de alguma outra operação. Um contrato no mercado futuro, por exemplo, não pode ser transferido. Antes de pedir a portabilidade, é fundamental que você verifique se o ativo não é parte de nenhuma operação, se não está liquidado ou sob bloqueio judicial.

Por que e quando fazer a portabilidade de investimento?

Especialistas em investimentos explicam que a portabilidade de investimento não tem a ver apenas com os custos. Lógico que se você deseja fugir de algumas taxas aplicadas por uma corretora ou banco, a portabilidade é uma excelente opção, mas especialistas indicam que o principal motivo para mudar a custódia de ativos é o péssimo atendimento.

O sócio diretor da Solidus, Fernando Barbedo, disse ao Uol, que depois que a maior parte das tarifas envolvidas em investimentos foram zeradas, o principal motivo da portabilidade de investimentos atualmente é o atendimento.

O cliente que encontra dificuldades para acionar os canais de atendimento e ter acesso aos seus ativos na plataforma da instituição financeira é o que mais tem motivos para realizar a portabilidade de seus investimentos.

Barbedo enfatiza que a portabilidade de investimentos é fundamental para estimular a concorrência entre as instituições financeiras e melhorar o atendimento aos investidores. Roberto Agi, planejador financeiro da Planejar, em entrevista ao UOL, recomenda que os investidores chequem os detalhes sobre o atendimento da nova instituição.

Para Agi, o atendimento é a principal questão na hora da portabilidade. O executivo explica que olhar apenas o custo pode ser um erro e que é melhor pagar uma taxa maior pelo serviço de uma instituição e ser atendido na hora do problema do que não pagar nada e encontrar dificuldades para ser atendido.

Como funciona a portabilidade de investimentos?

Como falamos ainda não há um processo automático e padronizado para a portabilidade de investimentos. A CVM já recomendou que os bancos e corretoras automatizem o processo, mas as instituições têm rechaçado essa possibilidade.

Outro ponto que está em discussão pela CVM é a padronização dos formulários de transferência e os prazos para a realização da transferência de custódia. A tendência é que isso aconteça em meados de 2020 e sirva para padronizar e agilizar o processo.

O processo para fazer a portabilidade de um investimento é um pouco burocrático. Primeiro, você deve escolher uma corretora e abrir conta para iniciar o processo de migração dos ativos.

É necessário preencher um documentário de transferência de valores mobiliários.

Depois de preenchido, este documento precisa ter firma reconhecida no cartório. Entre em contato com a corretora de origem para formalizar o envio do documento e veja se é possível enviá-lo por e-mail, por exemplo. Por fim, é só aguardar a portabilidade ser concluída, o que dependendo da instituição pode levar, em média, até 10 dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *